Para desfrutar de todas as características de Fungipedia, você deve criar uma conta. Clique no botão para iniciar o processo de criação da conta.

Amanita curtipes

E.-J.Gilbert

Informações adicionais:

  • Nomes comuns: Nenhum.
  • Sinônimo: Amanita valens Kühn et Romagn.

Taxonomia:

  • Divisão: Basidiomycota
  • Subdivisão: Basidiomycotina
  • Classe: Homobasidiomycetes
  • Subclasse: Agaricomycetidae
  • Ordem: Agaricales
  • Família: Amanitaceae
Amanita curtipes - comestible

Características macroscópicas

Características:

Chapéu com um diâmetro que pode oscilar entre os 3 a 8 cm, com uma forma hemisférica no seu nascimento, convexo durante grande parte do seu crescimento, ficando plano e apresentando uma depressão no centro no final do ciclo vital. A sua superfície é de cor branca ou creme-rosada (no entanto com a idade pode adquirir tons ocres), lisa, apresenta frequentemente restos do véu em forma de placas irregulares sem cor. Margem geralmente excedente e bastante regular, lisa ou ligeiramente estriada.

Lâminas livres em relação ao pé, medianamente apertadas, de cor branca um pouco creme com a maturidade, podendo ter nuances rosadas em alguns exemplares, são amplas e regra geral com lamelas intercaladas.

normalmente curto no entanto o seu comprimento pode variar em função do substrato sobre a qual frutifica. De cor branca na juventude mas ocre na velhice, cilíndrico e liso um pouco fibroso. O anel solta-se muito facilmente e só nos exemplares jovens se pode chegar a ver, na altura da colheita já não se observa o anel. A volva é membranosa e aberta sem chegar a ser saciforme, de cor branca (no entanto parece ocre devido à presença de terra) e por vezes termina em bico.

Carne espessa e consistente de cor branca, ao corte fica com um tom rosa-carne que se torna mais escuro com o tempo. Tem um odor fúngico suave e um sabor agradável.

Habitat:

Frutifica tanto em pinhais arenosos como em carvalhos e sobreiros. É uma espécie bastante localizada e com pouca extensão, embora se encontre em zonas onde haja uma elevada salinidade. Aparece ao longo do Outono podendo também existir na Primavera dependendo das condições climáticas.

Observações:

Espécie comestível mas pouco colhida para esse fim, tem uma notável aparência com a Amanita ponderosa ou silarca, espécie de maior porte e mais apreciada a níveis gastronómicos com um odor terroso mais acentuado. Mais perigosa é a possível confusão com a espécie mortal Amanita verna, de carne branca imutável e sem odor, com uma volva mais saciforme. A Amanita valens é considerada por alguns autores como espécie independente mas também se pode considerar a mesma espécie mas com um pé mais largo.

Navegue entre as diferentes espécies: « Amanita citrina Amanita excelsa var. spissa »